Notícias


10/12/2018
Autor: Angela Hiluey
Boletim Informativo da Associação Brasileira de Psicoterapia | Nº 5/2018 | Dezembro
AS EXPERIÊNCIAS VÃO SE SUCEDENDO E A ABRAP CONTINUA EMPENHADA EM COLABORAR COM A PARTE QUE LHE CABE.


Associados e Associadas da ABRAP,

Concidadãos e Concidadãs, Sociedade Brasileira.

 

Palavra da Presidente

 

Chegamos para lhes entregar um bouquet de muguet-du-bois.

Ao lado do simbolismo específico dessa flor para diferentes países, em diferentes épocas, para nós da ABRAP representa o nosso anseio de lhes desejar aquilo que essa flor simboliza: Boa sorte!

No passado, em um Guia do Estudante (91-92), leu-se que a palavra “Sorte”, em hebraico, é formada pela raiz de três outras palavras, que significam tempo, espaço e oportunidade. Ou seja ter sorte  é: estar no lugar certo, na hora certa, perceber isso e aproveitar a oportunidade .

Sendo assim, desejar-lhes que oportunidades possam ser reconhecidas e aproveitadas pareceu-nos uma efetiva maneira de lhes enviar Bons Votos para o Novo Ano que se aproxima. Bem-vindo 2019!

Que o reconhecimento e aproveitamento de oportunidades tragam prazer e esperança na possibilidade do constante desenvolvimento do ser humano.

Nessa linha de acreditar que podemos colaborar para a qualificação do exercício dos psicoterapeutas, chegamos ao final do primeiro ano da nossa gestão 2017-2019.

Relatar nossas experiências parece-nos o caminho adequado para compartilharmos com vocês as ideias que vão sendo geradas, fruto da nossa participação em eventos e outras atividades. A experiência vem reforçando a adequação de mantermos tal iniciativa. Assim vamos transmitindo nossas vivências enquanto escrevemos a história.

Uma das maneiras de que dispomos para transmitir estes relatos é o nosso site www.abrap.org em especial na seção ABRAP INFORMA. Outra maneira é este boletim periódico, o qual também inserimos no site, além de divulgar por e-mail, e pelas redes sociais a cargo de nossa Conselheira Dra. Marluce Muniz de Souza Pedro: Facebook- @ABRAP.org.br; chamadas pelo Twitter- @ABRAP_ABRAP; e Instagram- oficialabrap.

Esta é a quinta edição do nosso boletim informativo produzida na Gestão 2017-2019. Esperamos que lhes traga proveito.

 

Diálogo Digital: Conversando sobre psicoterapia e a formação do psicoterapeuta.

Ao lado das atividades que fomos relatando ao longo do ano de 2018, chegamos ao Diálogo Digital: “Conversando sobre Psicoterapia e a Formação do(a) psicoterapeuta”, promovido pelo CFP- Conselho Federal de Psicologia e a ABRAP- Associação Brasileira de Psicoterapia, aos 07 de dezembro de 2018, com Transmissão ao Vivo pelo CFP.


Contamos com Ana Sandra Fernandes, vice-presidente do CFP, para nos apresentar e acompanhar. No Diálogo estiveram Angela Hiluey, presidente da ABRAP juntamente com dois dos membros do Grupo de Formadores de Psicoterapeutas, Iraní Tomiatto de Oliveira da ABEP- Associação Brasileira de Ensino de Psicologia e Roberto Rodrigo Guerreiro da Universidade Ibirapuera. O Grupo de Formadores de Psicoterapeutas que constituímos na ABRAP tem o objetivo de dar vida a nossa proposta: desenvolver os critérios comuns que permitam o reconhecimento de um psicoterapeuta e garantam o rigor e a qualidade da prática psicoterapêutica.

As repercussões de nossa ação com esse objetivo vêm tendo o apoio e esforço dos integrantes desse grupo, e ainda conta com o incentivo e participação de um coletivo mais abrangente.

O Conselho Federal de Psicologia segue nos apoiando e favorecendo a ampliação de nosso diálogo com os Sistemas Conselhos, com nossos diferentes colegas, com os Serviços de Atendimento e a população brasileira em geral.

Veja o vídeo do Diálogo AQUI

 

V CBP- Congresso Brasileiro de Psicologia – Ciência e Profissão

Retomando as atividades das quais a diretoria e conselhos da ABRAP, bem como seus associados e convidados, participaram nesse ano que em breve se encerra, encontrou-se o V Congresso Brasileiro de Psicologia- Ciência e Profissão. Aderimos ao V CBP com ânimo porquanto somos uma das Entidades do FENPB- Fórum das entidades nacionais da psicologia brasileira e, portanto, uma das organizadoras do referido Congresso. Nossa participação nos permitiu acompanhar aquilo que a Psicologia Brasileira e a Latino-americana vêm desenvolvendo com dedicação e competência. Mostramos assim, ao mesmo tempo, a relevância de uma formação de qualidade aos futuros psicoterapeutas.

Em decorrência dessa atuação, teremos neste Boletim a oportunidade de apresentar trabalhos de alguns convidados desse Congresso: Profa. Dra. Elcie F. Salzano Masini e do Prof. Dr. Alexandre Saddeh com Beatriz Bork, Desirèe Cordeiro e Luciane Gonzalez Valle. Agradecemos enfaticamente a nossos convidados por nos darem a oportunidade de experimentarmos a honra de contar com suas contribuições para o nosso enriquecimento.

A Profa. Dra. Elcie F. Salzano Masini(1) em seu trabalho “O aprender sobre o atendimento ao ser humano” desenvolve mais amplamente sua apresentação no V Congresso Brasileiro de Psicologia. Podemos assim conhecer o procedimento metodológico que, segundo a professora, auxiliará os formadores de psicólogos bem como de psicoterapeutas a atingirem seus objetivos com vistas ao desenvolvimento integral do aprendiz. Utiliza as condições da Aprendizagem Totalizante que leva em consideração tanto a pessoa que aprende como a sua experiência para propiciar-lhe condições ao ensino. Imbrica na Aprendizagem Totalizante tanto a Teoria de Aprendizagem Significativa de Ausubel como a do “Aproximar-se”, da Análise Existencial (Daseinsanalyse) de Heidegger, segundo Boss (1976). Veja o artigo AQUI.

Por outro lado, a mesma professora em seu trabalho intitulado “Alicerce da relação eu-outro. Um espaço de descobertas sobre o convívio” nos permite ler sobre sua conferência no V Congresso Brasileiro de Psicologia, mostrando-nos diferentes maneiras do ser humano entrar em contato com o que o cerca. Embasa-se, a professora, na Fenomenologia da Percepção de Merleau-Ponty (1945). Veja o artigo AQUI.

Ambos trabalhos explicitam a relevância do conhecimento do “Outro” tanto para processos de aprendizagem como para o convívio. Lembremos que a relação psicoterapêutica se desenvolve num relacionamento interpessoal, o que permite que consideremos o artigo “Alicerce da relação eu-outro. Um espaço de descobertas sobre o convívio” um trabalho instigante para fomentar a reflexão.

O Dr. Alexandre Saadeh(2), Desirèe Monterio Cordeiro(3) e Luciane Gonzalez(4), também estiveram conosco no V CBP e agora compartilham aqui seu artigo “Disforia de gênero da infância e da adolescência” escrito em parceria com Beatriz Bork(5). Através desse artigo vamos conhecer um trabalho pioneiro no Brasil com a população trans de crianças e adolescentes. Esse trabalho teve seu início em 2010 no AMTIGOS - Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Os autores fazem referência ao fato de que o trabalho transdisciplinar com a população trans no Brasil é algo novo quando introduzem o leitor ao pioneirismo de seu trabalho com crianças e adolescentes.

 O trabalho com as crianças por sua vez é preventivo para evitar as condições estigmatizantes e excludentes relacionadas à identidade de gênero, escrevem os autores. Por outro lado, com os adolescentes, é um trabalho de diminuir danos dada a possibilidade da infância e a puberdade terem deixado marcas psíquicas e físicas causadoras de sofrimento intenso. Veja o artigo AQUI.

 

Reunião Científica ABRAP

Nossa Reunião Científica, coordenada por nossa Diretora Científica Profa. Dra. Mathilde Neder, seguiu acontecendo na última quarta-feira de cada mês, como programado. Temos um programa de discussões para o ano todo. O espaço é aberto à participação até mesmo de não-associados ABRAP. Inscreva-se através do e-mail: secretaria@abrap.org.

 

II Congresso on Mental Health, Moscou-Russia. 5 a 7 de outubro de 2018

A presidente da FLAPSI – Federação Latino-americana de Psicoterapia, Emilia Afrange, foi convidada, esteve presente e apresentou dois trabalhos nesse evento, além de ter integrado o Comitê Organizador Internacional. Breve relato de sua participação AQUI.

 

 

Atividade Científica ABRAP...Aconteceu! Aos 26 de outubro de 2018

Práticas Clínicas mediadas por tecnologias e o futuro da Psicoterapia. (atendimento on-line).

A cargo da Profa. Dra. Cláudia Catão.

A professora enfatizou, em sua exposição, a importância:

·         da existência de uma plataforma segura para uso da tecnologia;

·         de conhecer a diferença entre atendimento psicoterapêutico presencial e on-line;

·         da experiência com atendimento psicoterapêutico presencial anterior a utilização das novas tecnologias.

·         de uma rigorosa avaliação sobre cada caso para a seguir se posicionar sobre empregar as novas tecnologias.

 

Save the date para 2019:

Atividade Científica ABRAP- Incongruência de gênero: conceitos e questões na infância, adolescência, família e acompanhamento.

Expositores: Dr. Alexandre Saadeh; Desirèe Monteiro Cordeiro; Luciane Gonzalez Valle, do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

·         Data: 30 de março de 2019

Horário: 09h às 12h.

I Seminário Interativo Internacional- Novos enfoques do maltrato desde perspectivas relacionais (violência física e psicológica; abuso sexual; negligência; alienação parental; atendimentos psicossociais e psicoterapêuticos pós-divórcio; encaminhamentos pelo poder judiciário). Expositores: Prof. Dr. Juan Luis Linares (Espanha) e Profa. Dra. Regina Giraldo Arias (Colômbia).

·         Data: 23 e 24 de agosto de 2019.

Local: Universidade Anhembi Morumbi.

Rua Casa do Ator, 275- Vila Olímpia, São Paulo. Auditório 7.

 

A ABRAP está atenta às necessidades atuais para promover a Saúde Mental, e nossos associados e associadas adquirem voz e vez em nossa companhia.

E assim nos despedimos. Boas-vindas a 2019!

Diretoria e Conselhos ABRAP Gestão 2017-2019

Angela Hiluey Presidente da ABRAP- Associação Brasileira de Psicoterapia

 

(1) Elcie F. Salzano Masini - Doutora em Psicologia. Professora Livre Docente, Associada da Universidade de São Paulo, junto aos Programas de pós– graduação ”Psicologia e Educação” e ”Educação Especial”. Professora titular da Universidade Presbiteriana Mackenzie, de 1998 a 2017. Focos de investigação: percepção; inclusão; aprendizagem, relações eu-outro. Inúmeros Artigos e vinte e seis livros publicados sobre esses temas. Consultora ad hoc do CNPq, FAPESP. CAPES.

(2) Alexandre Saadeh: Médico, Psiquiatra, Médico Supervisor do Serviço de Psicoterapia do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP, Psicodramatista, Coordenador do AMTIGOS-NUFOR-IPq-HCFMUSP (ambulatório transdisciplinar de identidade de gênero e orientação sexual do núcleo de psicologia e psiquiatria forense do IPq-HCFMUSP), Professor Doutor do curso de graduação em Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde da PUC-SP.

 (3) Desirèe Monteiro Cordeiro Psicóloga e psicodramatista, experiência de mais de 15 anos na área clínica.  Mestre em Ciências pelo Departamento de Psiquiatria da FMUSP psicóloga voluntária do AMTIGOS-NUFOR-IPQ-HCFMUSP (Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Forense do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

(4) Luciane Gonzalez Valle Psicóloga, experiência de mais de 20 anos na área clínica. Especialista em psicoterapia cognitiva. Pós-graduada em Socionomia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Psicóloga voluntária do AMTIGOS-NUFOR-IPQ-HCFMUSP (Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Forense do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

(5) Beatriz Bork – Psicóloga pela UNIP com 25 anos de experiência na área clínica, enfoque Psicanalítico. Especialista em adolescente e pré-adolescentes. Especialista em Dislexia – ABD (Associação Brasileira de Dislexia). Especialista em Distúrbio de Aprendizagem e Estimulação Cognitiva. Colaboradora no AMTIGOS (Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual) -NUFOR-IPq – HCFMUSP desde 2014. Membro da WPATH (World Professional Association for Transgender Health).