Notícias


30/03/2018
Autor: Angela Hiluey
XII Congresso Latino-americano de Psicoterapia e II Congresso Mexicano de Psicoterapia em Monterrey - México.
Recorte de vivência de Angela Hiluey, presidente da ABRAP, como participante


A seguir pode-se conhecer o recorte da vivência de Angela Hiluey, presidente da ABRAP, como participante no XII Congresso Latino-americano de Psicoterapia e II Congresso Mexicano de Psicoterapia, organizados e realizados pela FLAPSI- Federação Latino-americana de Psicoterapia e pela AMEPAC- Associação Mexicana de Psicoterapia.

Recorte:

Tivemos a grata satisfação de representar a ABRAP- Associação Brasileira de Psicoterapia nesses dois eventos, sendo que a  ABRAP é uma das Associações que integram a FLAPSI.

Apresentamos o trabalho: Construindo o amanhã: abrindo possibilidades para novas narrativas sob o eixo temático: Formación y Regulación en Psicoterapia; Formación Teórica Técnica.

Com base na nossa participação, redigimos um recorte da vivência, recorte esse que aqui compartilhamos.

Nesse evento houve a eleição de nova diretoria da FLAPSI. Nossa atual vice-presidente, Emília Afrange, foi re-eleita Presidente da FLAPSI. Desejamos a Emília e sua diretoria nessa nova gestão, um percurso que permita acumular novas conquistas. A ABRAP enquanto uma das Associações que integram a FLAPSI, prestará a devida solidariedade e colaboração.

Esses Congressos versaram significativamente sob o vértice da Formação Teórica e Prática do Psicoterapeuta.

Focaram:

1) na relevância dos formadores de psicoterapeutas organizarem os treinamentos dos psicoterapeutas de modo a que se possa ter uma avaliação sobre os processos mais efetivos para aprendizagem dos psicoterapeutas;

2) na relevância do(a) psicoterapeuta aprender a investigar não somente para ser um pesquisador, mas também para vir a estar investigando constantemente a sua própria prática.

Outro vértice explorado nesses Congressos se referiu à prática psicoterapêutica no tocante a êxitos e dificuldades nos atendimentos com crianças, adolescentes, casal e família. Durante tais apresentações, evidenciava-se a importância da inclusão de diferentes perspectivas para contemplar os seres humanos em sua totalidade bem como sobre a importância da avaliação dos processos para que não se faça mal àqueles que atendemos.

Houve nesses Congressos inequivocamente a circulação de mensagens sobre: a seriedade com que os formadores de psicoterapeutas cuidam de sua função de formadores; a importância de se detalhar os processos de formação teórica, supervisão, e prática psicoterápica. Por exemplo não referem apenas sobre a necessidade da supervisão, mas há uma explicação detalhada sobre tal processo focando o como, porque e para que, se realiza tal atividade co-participativa entre supervisor e supervisionandos(as) em relação a cada referencial teórico proposto no treinamento dos(as) psicoterapeutas.

Aconteceu também a discussão de alguns livros apresentados por seus autores(as).

Estaremos proximamente inserindo em nosso website www.abrap.org artigos que serão enviados pelos colegas da América Latina que compõem a FLAPSI - Federação Latino-americana de Psicoterapia com o objetivo de colaborarmos com o diálogo virtual entre os psicoterapeutas independente de nossas fronteiras.

Esperamos que este recorte possa fomentar a ampliação de nossos diálogos.

Angela Hiluey

Presidente da ABRAP- Associação Brasileira de Psicoterapia